Skip to content Skip to navigation Skip to footer

Vida útil (TTL)

O que é TTL?

Nas redes, o tempo de vida (TTL) determina quanto tempo se armazena em cache uma consulta ou conteúdo. O significado de TTL difere com base no tipo de TTL que está sendo descrito. 

Para entender o que TTL significa, você precisa diferenciar entre TTL do sistema de nomes de domínio (DNS) e TTL da rede de entrega de conteúdo (CDN). O TTL do DNS instrui o resolvedor de DNS sobre o tempo necessário para armazenar uma consulta em cache antes de solicitar uma nova. Essas informações são armazenadas no cache recursivo ou do resolvedor local que lida com o TTL até que ele precise coletar novos detalhes.

O TTL da CDN é diferente, porque se refere ao armazenamento em cache do conteúdo. Isso envolve manter uma cópia dos recursos em um site em proxies CDN para fazer com que a página carregue mais rápido e reduzir a quantidade de largura de banda consumida.

O TTL do DNS é expresso em termos de tempo porque determina a quantidade de tempo antes que o resolvedor colete os detalhes de um site. Por exemplo, se o TTL do DNS de Fortinet.com fosse definido como 900 segundos (15 minutos), o resolvedor do reuniria detalhes sobre a Fortinet.com uma vez a cada 15 minutos. Durante esse período de 15 minutos, todos os usuários que foram ao Fortinet.com veriam exatamente a mesma coisa. Se 2.000 usuários forem para o Fortinet.com entre 12h e 12h15, todos verão o mesmo texto, imagens, links, etc. 

No entanto, mesmo que uma atualização fosse realizada no site às 12h10, ela não entraria em vigor até que o TTL do DNS voltasse a reunir mais detalhes para o site às 12h15. Portanto, um usuário que fosse para o Fortinet.com às 12h16 veria o conteúdo atualizado, mas um usuário que visitasse às 12h14 veria o que estivesse lá entre 12h e 12h15.

Como funciona?

A função básica do TTL gira em torno do gerenciamento de pacotes de informações em relação às solicitações do DNS. Quando um desses pacotes é criado e transmitido pela internet, há uma chance de que ele passe, continuamente, de roteador para roteador, para sempre. Para evitar que isso aconteça, cada pacote tem um limite específico de TTL ou salto. Também é possível examinar o TTL de um pacote de dados para obter informações sobre como ele se moveu pela internet ao longo de suas viagens.

Dentro de cada pacote, há um local especificado onde o valor de TTL é armazenado. Trata-se de um valor numérico que indica quanto tempo o pacote deve se mover pela internet. Quando um roteador recebe um pacote de dados, ele retira uma unidade da contagem de TTL antes de enviá-lo para o próximo destino dentro da rede. Isso continua a acontecer até que a contagem de TTL dentro do pacote desça até chegar a zero. 

Nesse ponto, o roteador descarta o pacote de dados e transmite uma mensagem de protocolo de mensagem de controle da internet (ICMP) para o host onde o pacote se originou. O ICMP é um protocolo que permite que os dispositivos se comuniquem entre si e transmitam erros relacionados ao fluxo de pacotes de dados.

Para ilustrar como o TTL funciona, é util ver como ele é usado pelo traceroute, particularmente com o protocolo de internet versão 6 (IPv6 IPv6 refere-se a um endereço que é uma string alfanumérica de 128-bit usada para identificar um terminal. Com o IPv6, o TTL se refere ao limite de saltos ou ao número de paradas que um pacote de dados tem permissão para pular antes que um erro seja enviado de volta via ICMP.

Isso permite que o TTL seja usado para coletar informações sobre como um pacote de dados se move pela internet. Com o protocolo de controle de transmissão/protocolo de internet (TCP/IP), os pacotes de dados normalmente não viajam em linha reta quando vão de sua origem ao seu destino. Eles quicam de um nó para outro, eventualmente atingindo o terminal designado. 

O rastreamento é usado para descobrir quanto tempo leva para um pacote de dados ir de um lugar para outro enquanto viaja pela internet. Durante a execução de um comando traceroute, há um fluxo de pacotes que é enviado ao longo de um caminho. Cada pacote tem um valor de TTL que é um mais do que o anterior. Isso significa que ele pode ir mais longe sem enviar um erro usando o ICMP. As mensagens de erro enviadas pelo ICMP são usadas para determinar a quantidade de tempo que cada pacote de dados levou para saltar para cada ponto ao longo da rede conforme viajava para seu destino.

Para que o TTL do DNS é usado?

Os TTLs do DNS são particularmente úteis para sites que fazem alterações e atualizações constantes e frequentes. Com um TTL mais baixo, um site pode receber as atualizações mais recentes com mais frequência. Por exemplo, se uma empresa fictícia chamada ABC Widgets tivesse um site chamado GetWidgets.com e tivesse um valor de TTL de 3.600 segundos (uma hora), ela receberia atualizações uma vez a cada hora. No entanto, se GetWidgets.com executasse atualizações frequentes, ele poderia ajustar o valor de TTL para fazê-lo atualizar com mais frequência.

O ajuste personalizado do TTL pode ser particularmente útil ao otimizar a experiência do usuário para seus clientes. No exemplo GetWidgets.com, a empresa pode precisar adicionar produtos continuamente, especialmente à medida que passam a uma temporada de vendas movimentada. 

Por exemplo, sua equipe pode estar carregando descrições de produtos, imagens e vídeos para novos widgets o dia todo, todos os dias. Se o TTL permanecesse em 3.600 segundos, os compradores on-line teriam que esperar uma hora para ver os produtos mais recentes disponíveis. No entanto, se eles reduzissem o tempo de TTL, os clientes do site seriam atualizados com mais frequência e teriam uma visão mais precisa dos widgets disponíveis.

Por outro lado, se cada página de produto tivesse que passar por um processo de revisão cuidadoso antes de ser aprovada para o site, a ABC Widgets deveria ajustar o TTL para permitir o tempo necessário para realizar cada revisão.

O TTL do DNS também é útil porque fornece ao usuário uma versão em cache do site. Se o site de uma organização tiver muito conteúdo e levar muito tempo para carregar, o processo de armazenamento em cache pode facilitar o acesso dos usuários ao conteúdo, pois ele é armazenado no cache. Isso permite que grandes sites ainda sejam facilmente acessíveis por um número maior de usuários.

Como o TTL do DNS gerencia o armazenamento em cache de um site, a organização também pode usá-lo para otimizar a experiência do usuário de acordo com as limitações dos servidores que usa. O armazenamento em cache facilita a carga do servidor central armazenando uma versão do site em uma camada facilmente acessível pelo usuário final. 

Se o servidor da sua empresa for estendido ao máximo, você pode aumentar o TTL do DNS para fazer com que ele envie uma nova versão do site com menos frequência. Dessa forma, o servidor não precisa passar pelo trabalho extenuante de enviar uma versão atualizada de todo o site com tanta frequência. O TTL do DNS, neste caso, permitiria que o servidor tivesse tempo para "descansar" antes de conseguir obter uma cópia atualizada do site.

Por outro lado, se o site da sua organização tem uma interface de programação de aplicativos (API) interativa que é central para a experiência do cliente, você deve ajustar seu TTL para melhorar o desempenho do site da perspectiva do usuário. Em alguns casos, um valor de TTL mais baixo pode gerar melhores resultados, porque o usuário obtém uma versão atualizada do site com mais frequência. 

Por exemplo, se você estava usando o Yahoo Finance API, você vai querer que os usuários vejam as informações financeiras mais atualizadas sobre as empresas mencionadas em seu site. Com uma configuração de TTL do DNS mais baixa, o usuário teria acesso aos dados mais recentes da empresa.

Como a Fortinet pode ajudar

Uma das principais vantagens de gerenciar adequadamente o TTL é manter um tempo de atividade eficiente e tranquilo para o seu site. Em geral, como a operação de uma empresa depende do desempenho de seus ativos on-line, otimizar o TTL e o desempenho de aplicativos on-line é de suma importância. O FortiGSLB Cloud da Fortinet garante o máximo de tempo de operação, independentemente da situação.

Essa nuvem de balanceamento de carga de servidor global (GSLB) é uma poderosa ferramenta de continuidade de negócios porque mantém o aplicativo on-line e pronto no caso de picos inesperados de uso ou mesmo se a rede cair.

Além disso, com o GSLB, você pode configurar recursos redundantes em locais estrategicamente selecionados em todo o mundo. Isso permite que você acomode failover instantâneo, tudo gerenciado com uma API integrada, garantindo que seus clientes sempre tenham acesso aos aplicativos mais importantes para sua empresa.